Monthly Archives: Outubro 2014

Apertadinho…

Continuo meio azamboado com o que se anda a passar. Nunca me imaginei na Web 2.0! Mas, verdade, é que não contava mesmo com tudo isto. A quantidade de partilhas que a reportagem tem, a onda de solidariedade – hei de escrever um post só sobre isso – que se está a gerar e a fraternidade de desconhecidos – pelo menos de mim para lá! Também dá outro post – comove-me… Mesmo! Mas, também é verdade que a Web 2.0 também me está a fazer confusão. Apercebo-me que não entendo muito bem isto! Não chegam 10 anos de estudos em informática para me sentir completamente confortável a mexer nestas coisas – Nuno, obrigado pela oferta. Depois ligo para me dares uma ajuda com o WordPress.

Hoje estive sozinho no escritório. Havia mais gente na empresa, mas, no escritório onde estou estive sozinho todo o dia. As minhas colegas foram formidáveis. De meia em meia hora, a minha colega da porta ao lado ia perguntar-me se precisava de algo, ir à casa de banho, que a porta ficava encostada e pedia chamar, ir almoçar, se queria um café, casa de banho outra vez, alguma coisa, casa de banho com um colega – homem – que podia ir chamar, que ia embora e eu como ia fazer? se não precisava mesmo de alguma coisa! Foram tão simpáticas que até fiquei com pena de não precisar de nada! Não sei que raio terá acontecido, devem-se-me ter lentificado os rins que nem um xixizinho precisei de fazer em todo o dia!

Esta questão do xixizinho e do número 2… O número 2 dava muitos posts, mas ontem houve uma situação traumática e ainda sinto vergonha só de pensar – é, de facto um problema. Já deixei de ir alguns sítios por saber que a casa de banho tem más condições ou má acessibilidade até ao local. Já não é muito bom ter que pedir a um amigo para me levar – se for num bar cheio de gente o termo é TT Trial –, chegar e deparar-me com um sítio que se sabe ser imundo pelo cheiro, ou pela poça que piso sem querer. Só de me imaginar tocar na parede do sítio é aflitivo. São menos umas 2 ou 3 cervejas por hora que se deixa de beber, o que é uma pena, claro. E, ainda por cima, dá cabo do sistema, que consiste em acompanhar o mesmo número de cervejas que um comensal esteja a beber, de forma a maximizar as chances de ter necessidade ao mesmo tempo e assim poder usar a viagem que o comensal já queria fazer, para meu proveito/alívio. O número 2 não… é muito mais complicado! Fogo… nem me quero lembrar!

Está aqui um rico segundo post!

 

Anúncios

Cenoura na Calçada… Vamos lá!

Caramba, Nunca pensei em criar um blog! Também nunca tinha pensado em aparecer na imprensa com a Sofia a falar das nossas vidas! Nem da minha, mesmo quando achava que nunca iria casar! Na verdade, nunca pensei que tudo o que foi abordado na reportagem da Revista2 do passado domingo viesse a acontecer. Desde deixar de ser fanático por jogos de vídeo, passando por ingressar no ensino superior. E depois de lá estar… “Estudar até aos 30?! …livra!!!!”. Mais estranho para mim, é mesmo gostar de estudar. Se alguém me tivesse dito tal coisa há 15 anos atrás, é provável que tivesse levado com uma reação menos meiga e ainda hoje não me falasse. Lembro-me de me colocarem a pergunta, lá pelo 7º ou 8º ano, “Qual é a tua disciplina preferida?” e, sem hesitar, a resposta era: “Nenhuma!”. Perante estas coisas todas, chego a temer, um destes dias, dar por mim a ser ordenado padre – não tenho problemas com padres! Sou apenas um “agnóstico convicto”.

 

A projeção da reportagem, magnificamente escrita pela magnífica jornalista Ana Cristina Pereira – leiam mais artigos escritos por ela – e foto-documentado pelo simpatiquíssimo Nuno Ferreira Santos – que também deve tirar umas belas fotografias. Vejam e digam-me, por favor – ultrapassou-me, a mim e à Sofia. É, definitivamente, encantador receber tantas mensagens de apoio, manifestações de carinho e de vontade de ajudar. Dizem que no Facebook – eu não tenho Facebook porque não quero! Deve estar por dias -… – há muita gente a partilhar! No site do jornal, nos comentários à reportagem, falou-se num blog para divulgar as situações do meu dia-a-dia. Decidi aceitar o repto! Decidi que ia fazê-lo, na medida do meu possível, claro. E aqui está o primeiro post!

 

Vou tentar desassossegar! Há muita gente que passa pelas mesmas dificuldades que eu e, pior, tenho a certeza, sem o amor, absolutamente indescritível, da minha querida Sofia e a indescritível amizade dos meus indescritíveis amigos. Saber que estas pessoas estão presentes na minha vida é, logo à partida, uma vantagem que tenho e, infelizmente, outras pessoas, que também têm achaques como os meus, não!

 

E agora, no fim de escrever o post, é que me passa pela cabeça:

Como confirmar a minha identidade?!

Assim que descobrir como se faz, posto uma fotografia do meu casamento!

Como escrevi, espero desassossegar. Desejo ter tempo, oportunidade e capacidade. Até breve e o meu sincero, muitíssimo obrigado!

http://www.youtube.com/watch?v=o2In5a9LDNg